Culinária, Dicas do Chef, Receitas

Como escolher um bom vinho para cozinhar?

vinho é apreciado no mundo todo não somente para harmonizar com os mais diversos pratos, como também para fazer parte deles. Afinal, você sabe como escolher o vinho para cozinhar?

A bebida é ingrediente que traz sabor, aroma e corrige a acidez da receita transformando uma simples receita em um grande prato. Por isso, é importante fazer a escolha certa para alcançar um resultado incrível em todos os aspectos do prato. Pensando nisso, trouxemos este post para ajudar você nessa missão. Continue a leitura e confira!

Em quais receitas os vinhos são sugeridos como ingrediente?

É muito comum o vinho ser utilizado para marinadas de carnes junto a temperos. Porém, saiba que ele é requisitado em muitas outras preparações que vão da entrada, passando pelo prato principal até a sobremesa.

Marinadas

Constituídas pelos ingredientes que irão conferir mais intensidade de sabor às carnes, como alho, cebola, pimenta-do-reino, louro e, claro, o vinho. Aqui, vale uma regrinha: tinto para carnes vermelhas e branco para carnes brancas.

Porém, como toda regra há exceção, algumas receitas têm suas particularidades e não há seguem. Por exemplo, o coq au vin, um ensopado de frango em que a marinada é feita com vinho tinto.

Fondues

A fondue de queijos é um clássico para o inverno. Em sua receita, o vinho branco seco entra para agregar sabor, aroma e conectar todos os ingredientes, já que traz fluidez para o molho.

Ensopados

vinho pode ser acrescentado aos ensopados de carnesavespeixes ou frutos-do-mar para dar sabor e acidez à preparação, além de conferir cor, no caso do vinho tinto, e aroma característico.

Risotos

O risoto é um prato de origem italiana à base de arroz “saborizado” com outros ingredientes, como queijovegetaiscarnes e cogumelos. O vinho branco seco entra para corrigir acidez e proporcionar maior complexidade de sabores ao prato.

Molhos

As reduções de vinhos são utilizadas como molho para acompanhar carnes sobremesas. A bebida também é utilizada em molhos à base de queijos e creme de leite.

Doces

Os doces ganham outro sabor quando têm o vinho em sua preparação. Entre as variadas opções, temos as frutas cozidas ao vinho (como peras e maçãs), sagu, pudins, mousses e geleias em que a bebida é o ingrediente principal.

Quais são os melhores vinhos para cozinhar?

Entre todas as opções de vinho, qual escolher para a minha receita? Essa é uma pergunta que gera muitas dúvidas até mesmo nos cozinheiros mais experientes.

Vinho branco

  • Pinot Grigio: é mais neutro sendo um curinga para os pratos que pedem vinho branco, como o Argento Pinot Grigio;
  • Sauvignon Blanc: é ótimo para usar em preparações à base de peixes e frutos do mar ou vegetais, isso devido ao seu marcante perfil aromático, como o Namaqua Sauvignon Blanc;
  • Chardonnay: agrega textura mais densa aos pratos, como o Origem Chardonnay.

Vinho tinto

No caso dos tintos, o melhor é escolher os que apresentam taninos mais delicados e que sejam mais frutados, não tendo passagem por madeira, para evitar que o sabor fique muito marcante e mascare os outros ingredientes. Bons exemplos são Merlot, Carménère e Pinot Noir.

Quais são os cuidados ao escolher um vinho para cozinhar?

Agora que você já sabe quais são os pratos mais tradicionais em que levam vinhos protagonizam os sabores, além de quais uvas são mais apropriadas para eles, está na hora de aprender alguns truques para não errar a sua receita.

Qualidade do vinho

É muito comum as pessoas acharem que o vinho para cozinhar pode ter baixa qualidade, mas não é bem assim que funciona. Você deve pensar: eu degustaria esse vinho? Então, se a resposta for positiva é sinal de que ele é adequado.

Veja bem, isso não significa que o vinho deve ser caro. Sabe o tipo de produto que você aprecia no dia a dia? Acessível e compatível com a maioria das classes que consomem vinho rotineiramente? Então, e dessa qualidade que estamos falando.

Evaporação do álcool

evaporação do álcool é muito importante no resultado do prato. Caso contrário, a comida poderá apresentar certo “sabor alcoólico”, o que é muito desagradável em grande parte das receitas.

O álcool leva algum tempo para evaporar. Cozinhando por 15 minutos, por exemplo, ainda resta cerca de 40% dele. Já por 2 horas essa quantidade cai para menos de 10%. Portanto, preste atenção ao tempo de cocção para restar apenas o sabor do vinho.

Quantidade

Salvo algumas receitas, como o já citado coq au vin, que pede uma quantidade maior de vinho, muitas delas exigem poucos ml. Isso porque o sabor da bebida não deve sobressair aos dos ingredientes principais, ao menos que ela seja a estrela do prato.

Portanto, fique de olho na quantidade pedida e coloque exatamente o quanto for necessário, mesmo que você adore o sabor do vinho como nós. Dessa maneira, o seu prato será realçado pelo vinho na medida certa, sem exageros.

Doçura

Em geral, os vinhos para cozinhar devem ser secos. Porém, alguns pratos requerem a doçura da bebida, como alguns molhos e as sobremesas. Então, nesses casos, é permitido usar os estilos suave e licoroso.

Harmonização

Qual é a melhor bebida para acompanhar com prato feito com vinho? O próprio vinho! A dica aqui é usar o mesmo exemplar tanto na receita quanto para harmonização. Assim não tem erro. Aliás, essa dica também vale para outras bebidas que também integram vários pratos, como o café e a cerveja.

Como harmonizar o vinho com os outros ingredientes da receita?

É muito importante conhecer os estilos de vinhos para cozinhar. Cada receita pede a bebida para acrescentar alguma característica específica, sempre potencializando o sabor do prato.

Veja como harmonizar os vinhos com os ingredientes.

Vinho branco

Assim como harmonizamos o vinho branco com pratos mais leves na degustação, para cozinhar também vale a mesma regra. Sendo assim, combina com peixes, frutos do mar, vegetais e aves. Como ele tem o nível de acidez agradável, orna bem com a doçura dos legumes, por exemplo. Ele também pode ser usado com carnes menos gordurosas, como o lombo e o filé mignon.

Risoto de Parmesão é uma receita típica italiana, que leva vinho branco seco para equilibrar os sabores e conferir acidez. Feito com arroz arbóreo, caldo de legumes, parmesão ralado na hora e finalizado com manteiga, o prato é versátil e harmoniza muito bem com vinho branco seco.

Voltar para lista