Estratégias e Tendências, Lojas Online

E-marketplace: o que é e quais são os seus tipos?

E-marketplace é um espaço virtual que engloba os mais variados fornecedores, conectando-os diretamente com seus clientes.

Trata-se de uma loja virtual que apresenta vantagens tanto para quem vende como para quem consome. Faz isso ao oferecer valores atrativos para consumidores e boas margens de lucro para os vendedores.

No geral, esse tipo de negócio apresenta uma característica global. Isso é, ele comumente conta com variados tipos de produtos e serviços para, assim, conquistar um público-alvo maior.

No entanto, há e-marketplaces mais segmentados, que comercializam produtos específicos. É o caso da Netshoes, por exemplo, que vende artigos esportivos; e da Amazon, que é especializada na comercialização de artigos eletrônicos dentre outros produtos.

VANTAGENS DE VENDER EM UM MARKETPLACE?

Dependerá da estratégia de sua empresa e condução deste processo de integrar-se à um marketplace. No geral são boas as vantagens para quem deseja iniciar suas vendas online.

Recentemente devido a mudança no perfil dos consumidores, assim como a veloz digitalização do mercado do varejo para realizar suas vendas de forma online, tem sido a melhor opção, visto que exige de baixo investimento, e pode trazer excelentes resultados.

Abaixo alguns pontos de atenção, para auxiliar no entendimento.

1. Mais alcance

Quando um empresário abre uma loja virtual, no começo, o número de acessos em seu site não é alto. Logo, as vendas também não. No entanto, se ele dirigir seus esforços para comercializar em um e-marketplace, a realidade pode mudar bastante. Isso porque uma quantidade muito maior de pessoas terá acesso a seus produtos.

Em outras palavras, por meio dessa plataforma, assim como a Abyt disponibiliza da Mydda Brasil, é possível conquistar alcance e visibilidade, com excelentes vantagens, assim como outros plataformas existentes no mercado.

2. Aumento do faturamento

Geralmente, esse modelo de negócio oferece excelentes oportunidades de vendas para os lojistas. Isso porque atingem elevadas audiências. Em termos práticos, isso significa que o número de compradores em potencial também aumenta.

Logo, ao trabalhar com essa plataforma, o gestor expande a possibilidade de conquistar novos clientes, potencializando o aumento das vendas e do faturamento.

3. Mais diversidade e audiência

Esse gênero de negócio atinge uma audiência grande e pluralizada, são estruturados para grandes volumes de acessos e perfis de clientes segmentados, ou diversos. Dessa forma, ao comercializar seus produtos nessa plataforma, o empresário alcança um público que dificilmente procuraria a sua loja.

Vamos exemplificar, imagine: Quando você precisa comprar uma bicicleta, você vai buscar esse produto em lojas específicas, ou em grandes plataformas que apresentam mais opções do produto. Logo ao navegar pelo site você acaba visualizando uma bolsa, que não necessariamente estava buscando neste momento, mas para aproveitar a compra, frente e também formas de pagamento facilitada, você acaba por escolher a bicicleta e também a bolsa.

Isso é o que ocorre quanto o público está pesquisando o que deseja, muitas vezes ocorre também de nem comprar o que procurava, e comprar apenas o que gostou.

Logo, se você lojista tiver um e-commerce que vende bolsas e próprio, possivelmente não alcançaria esse cliente que na verdade buscava a bicicleta.

DESVANTAGENS DE VENDER EM UM MARKETPLACE?

1. Dependência

Um aspecto negativo de comercializar nessa plataforma é não conseguir vender por conta própria. Essa pode ser uma desvantagem para quem deseja ter a sua marca conhecida. Sem falar que, caso, o e-marketplace não opere mais, seu negócio pode ser prejudicado.

É importante que você busque uma plataforma que poderá lhe apoiar nesse crescimento, e que possa conquistar sua própria marca, logo ao evoluir seja válido migrar apenas para seu próprio e-commerce, não perdendo o contato com seus clientes.

Lembrando, quem compra na Magazine Luiza, fica com a marca da plataforma, e não de sua empresa.

No caso, em plataformas como a Mydda você consegue criar a característica de sua marca, bem como se relacionar diretamente com seu cliente, e também na evolução de sua experiência existe a possibilidade de migrar para seu e-commerce comunicando seus clientes do novo local para atendê-los.

2. Falta de reconhecimento

Devido ao fato de seus produtos estarem expostos juntos a várias outras marcas, talvez a sua não seja reconhecida como deveria. Isso pode dificultar que seu negócio conquiste a autoridade que merece.

Da mesma forma como acima, é importante que você tenha a SUA PÁGINA DEDICADA nestas plataformas e de forma simples o seu cliente possa encontrá-lo após a primeira compra, ou até por sua orientação, mantendo a recorrência de vendas e relacionamento.

Quanto custa vender em um e-marketplace?

Os valores para vender nessa plataforma variam bastante. Para cada venda realizada nesse tipo de negócio, uma taxa é cobrada. Essa tarifa pode representar de 9% até 30% do valor do produto.

É importante estar atento as opções de associar-se a estas plataformas, pois existem custos além do previsto no desconto de comissão de vendas.

Por exemplo, para uma boa escolha a Mydda, não cobra taxas sobre a venda, logo sendo o contrato realizado com uma mensalidade fixa, pelo período desejado, desta forma sendo uma excelente vantagem.

Vale a pena vender em um e-marketplace?

Vender nessa plataforma não segue uma receita de bolo. Isso porque enquanto um nicho pode apresentar uma excelente performance, um outro segmento pode não ter tanto sucesso.

Nesse cenário, é fundamental analisar a estrutura financeira de seu negócio, considerando se as taxas da plataforma não engolirão o seu lucro. Por outro lado, é válido destacar que o potencial para suas vendas aumentarem é bastante expressivo.

Uma alternativa que pode fazer sentido é aplicar duas frentes de ação. Ou seja, você pode tanto comercializar em um e-marketplace como investir em um e-commerce próprio.

Quais são os tipos de e-marketplace?

Essa modalidade de negócios conta com diferentes tipos e modelos. São eles:

 1. e-marketplace independente 

Um e-marketplace independente tem seu modelo de negócios baseado no comércio B2B (empresas para empresas). Logo, essa plataforma conecta companhias compradoras e vendedoras de um determinado segmento. Ao se cadastrar nesse modelo, é possível solicitar cotações e também realizar lances.

2. e-marketplace voltado ao fornecedor

Essa modalidade é administrada por um grande número de fornecedores. Por meio desta plataforma, estabelece-se um canal de vendas que tem como meta aumentar o alcance e a visibilidade dos consumidores e compradores de empresas.

3. e-marketplace voltado para o comprador

Ideal para o comprador que deseja reduzir os seus custos administrativos e conseguir um bom preço de seus fornecedores, esse tipo de negócio é administrado por um consórcio de compradores que tem como objetivo conquistar um ambiente de compras mais eficiente.

4. e-marketplace vertical

Trata-se de um modelo em que fornecedores ofertam produtos e serviços específicos para um segmento que conta com demandas especializadas. Essa plataforma tem como finalidade otimizar tanto a compra como a venda, aumentando a eficiência do negócio e reduzindo custos.

5. e-marketplace horizontal

Por meio dessa modalidade de negócio, compradores e vendedores de diferentes setores ou regiões se conectam. O objetivo dessa plataforma é otimizar as transações comerciais entre eles.

Neste post, você ficou sabendo o que é e-marketplace, conheceu as vantagens e as desvantagens de comercializar nessa plataforma, e também descobriu quais são suas frentes de negócio. Está pensando em vender em um e-marketplace, mas não sabe nem por onde começar? Então, conte com a Abyt Holder para ajudá-lo em seus processos financeiros!

Voltar para lista